Make your own free website on Tripod.com

Deus não é uma Trindade. A mensagem ao povo do advento nunca incluiu esta doutrina...

 

 

Caro irmão em Cristo,

Somos irmãos seus de fé. Assim como você, amamos a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a qual cremos recebeu, através do dedicado estudo de nossos pioneiros do movimento milerita, uma doutrina pura diretamente das mãos de Deus, constituída por verdades que foram confirmadas por testemunhos diretos dados por Jesus Cristo à Sra. Ellen G. White. Como você, cremos que o objetivo de Deus para com esta igreja era preparar dos seus membros um povo que subsista em pé no dia do Senhor - o solene juízo dos vivos onde cada ato e pensamento de nossas vidas será comparado nas balanças do santuário com o padrão da santa lei dos dez mandamentos, que está prestes a se iniciar dentro de pouco tempo. Com tal juízo diante de nós, qual seria nossa situação caso fosse constatado que, mesmo face a toda a luz e a todos os privilégios que o Senhor graciosamente concedeu aos adventistas do sétimo dia, eles, e nós juntamente, conscientemente se envolveram no pecado de idolatria e se tornaram dele culpados? Ninguém, de sã consciência, desejaria enfrentar o tribunal de Deus estando em tal situação.

Considerando isto, movidos pelo amor de Cristo que nos constrange, nos unimos em um esforço voluntário para fazer chegar até você uma triste verdade e dar a você a oportunidade de não se encontrar em tal situação quando seu nome for apresentado em breve no tribunal de Deus. Vamos comparar abaixo algumas interpretações que são dadas por pastores atualmente para determinados textos bíblicos com os esclarecimentos das mesmas passagens dados por Jesus através dos testemunhos que comissionou Ellen G. White a escrever. O material do qual extraímos as afirmações dos pastores que aqui comentamos é um material encaminhado pelo Pr. Luiz Carlos Araújo, da Associação Paulista Leste da Igreja Adventista do Sétimo Dia, de autoria do Sr. Newton Brito de Oliveira, o qual chegou a nossas mãos na íntegra. Todavia é bem provável que você, leitor deste material, já tenha ouvido ou lido argumentos semelhantes em sermões a que tenha assistido em uma igreja adventista do sétimo dia nos últimos meses.

· Explicações do Espírito de Profecia – testemunhos de Jesus dados a Ellen G. White sobre os textos bíblicos mais utilizados para "provar" a doutrina da "trindade" (os grifos e ênfases dos textos abaixo são nossos): 

1 - Mateus 28:19 e João 14:16:

""Cristo presente com os crentes pelo Espírito Santo – "E eu rogarei ao Pai, e Ele dará a vocês outro Consolador, que estará sempre convosco; o Espírito da verdade; o qual o mundo não pode receber, porque não o viu, nem o conhece: mas vós o conheceis; porque Ele habita em vós, e estará em vós" [João 14:16,17]. Cristo estava para partir para Seu lar nas cortes celestiais. Mas Ele garantiu aos Seus discípulos que Ele enviaria para Eles outro Consolador, que estaria com eles para sempre. Todos os crentes em Cristo poderiam confiar implicitamente na guia deste Consolador. Ele é o Espírito da verdade, mas esta verdade o mundo não pode discernir nem receber. Antes de os deixar, Cristo deu aos Seus seguidores uma promessa positiva de que após a Sua ascensão Ele iria enviar para Eles o Espírito Santo. "Portanto ide," Ele disse, "e ensinai a todas as nações, batizando-as em nome do Pai [um Deus pessoal] e do Filho [um Salvador pessoal], e do Espírito Santo [enviado do Céu para representar a Cristo]: ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado: e eis que Estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos." [Mat. 28:19, 20]. Cita João 14:26-28.] Esta garantia positiva foi dada para os discípulos, para ser dada a todos que crêem nEle até ao final da história terrestre. Cristo queria que Seus discípulos entendessem que Ele não os deixaria órfãos. "Não os deixarei desamparados," Ele declarou; "Voltarei para vós. Ainda um pouco, e o mundo não Me verá mais; mas vós me vereis: porque eu vivo, vós também vivereis" [versos 18 e 19]. Uma preciosa, gloriosa garantia de vida eterna! Mesmo estando Ele para Se ausentar, sua relação com Ele era para ser como a de uma criança com seu pai. A influência do Espírito Santo é a vida de Cristo na alma. Nós não vemos Cristo e falamos com Ele, mas Seu Espírito está tão perto de nós em um lugar como em outro. Aqueles nos quais habita o Espírito revelam os frutos do Espírito – amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé," – Manuscript Releases, Vol. 12, pág. 260; MS. 41, 1897, pp. 7-11 ("Words of Confort"). White Estate Washington, D.C. March 31, 1983

Note que o testemunho acima menciona o Pai e o Filho como pessoas distintas e no final afirma que o Espírito Santo é o Espírito de Cristo.

2 - Isaías 6:3:

"1-8 A glória do Shekinah revelada a Isaías. – Cristo mesmo era o Senhor do templo. Quando o abandonasse, desapareceria sua glória; essa glória que uma vez foi visível no lugar santíssimo, sobre o propiciatório, onde o sumo sacerdote entrava somente uma vez no ano, no grande dia da expiação, com o sangue da vítima sacrificada (símbolo do sangue do Filho de Deus derramado pelos pecados do mundo), e a aspergia sobre o altar. Esta era o Shekinah: a habitação [móvel, temporal e] visível de Jeová.

Foi esta glória que foi revelada a Isaías, quando disse: "No ano em que morreu o rei Uzias vi eu o Senhor sentado sobre um trono alto e sublime, e suas vestes enchiam o tempo" [cita-se Isaías 6:1-8] (MS 71, 1897)" Comentário Bíblico Adventista, Vol. 4 pág. 1161 (comentários de Ellen G. White)

O testemunho acima afirma que Isaías viu a Cristo – não três deuses como dizem hoje os pastores – no relato de Isaías 6.

3 - Deut. 6:4

"O Salvador tipificado nos ritos e cerimônias da lei judaica, é precisamente o mesmo que se revela no evangelho. As nuvens que envolviam Sua divina pessoa foram removidas; o nevoeiro e as sombras desapareceram; e Jesus, o Redentor do mundo, Se acha revelado. Aquele que do Sinai proclamou a lei e entregou a Moisés os preceitos da lei ritual, é o mesmo que proferiu o sermão do monte. Os grandes princípios de amor a Deus, que estabeleceu como fundamento da lei e dos profetas, são apenas uma repetição do que Ele dissera por meio de Moisés ao povo hebreu: "Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder." Deut. 6:4 e 5." Patriarcas e Profetas, pág. 373

O testemunho acima afirma que foi Cristo que disse que o Senhor é o único Senhor. Não diz que o texto se refere a uma trindade, como dizem os pastores atualmente. Quem é este único Senhor? Podemos descobrir isto lendo I Cor. 8:6.

4 - Gênesis 1:26

"Depois que a Terra foi criada, com sua vida animal, o Pai e o Filho levaram a cabo Seu propósito, planejado antes da queda de Satanás, de fazer o homem à Sua própria imagem. Eles tinham operado juntos na criação da Terra e de cada ser vivente sobre ela. E agora, disse Deus a Seu Filho: "Façamos o homem à Nossa imagem." Gên. 1:26." História da Redenção, pág. 21

O testemunho acima mostra que Gen. 1:26 se refere ao Pai e o Filho, não a uma trindade, como dizem os pastores hoje em dia.

5 - I Coríntios 12:11

"Antes de deixar os discípulos, Cristo "assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo". João 20:22. Depois disse: "Eis que sobre vós envio a promessa de Meu Pai." Luc. 24:49. Somente depois da ascensão, porém, foi o dom recebido em sua plenitude. Apenas quando os discípulos se renderam plenamente à Sua operação em fé e súplicas, foi derramado sobre eles o Espírito Santo. Então os bens do Céu foram concedidos aos seguidores de Cristo em sentido especial. "Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens." Efés. 4:8. "Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo" (Efés. 4:7), repartindo o Espírito particularmente "a cada um como quer". I Cor. 12:11." Parábolas de Jesus, pág. 327

O testemunho acima é claro. Mostra que é Cristo quem concede e reparte os dons para a igreja, não o "deus" Espírito Santo como dizem os pastores hoje. 

6 - Gênesis 1:1-2; João 16:13; I Cor. 2:11

""As suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o Seu eterno poder como a Sua divindade, ... se vêem pelas coisas que estão criadas." Rom. 1:20. Mas o seu testemunho poderá ser compreendido apenas mediante o auxílio do Mestre divino. "Qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus." I Cor. 2:11.

"Quando vier aquele Espírito da verdade, Ele vos guiará em toda a verdade." João 16:13. Exclusivamente pelo auxílio daquele Espírito que no princípio "Se movia sobre a face das águas" (Gên. 1:2), pelo auxílio daquela Palavra pela qual "todas as coisas foram feitas" (João 1:3), e daquela "luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo" (João 1:9), pode o testemunho da ciência ser corretamente interpretado. Apenas sob sua orientação se podem discernir suas mais profundas verdades." Educação, pág. 134

No texto acima o testemunho comenta várias passagens interpretadas hoje pelos pastores como se referindo ao "deus" Espírito Santo, e mostra que elas se referem a Jesus. Em outra declaração dos testemunhos, a verdade de que o "Espírito Santo" mencionado nestas passagens é o nosso Senhor Jesus fica totalmente clara. Note:

"Impedido pela humanidade, Cristo não poderia estar em todos os lugares pessoalmente, então foi para vantagem deles (os discípulos) que Ele deveria deixá-los, ir para o Pai, e enviar o Espírito Santo para ser o Seu sucessor na terra. O Espírito Santo é Ele mesmo, despido da personalidade da humanidade e independente dela. Ele Se representaria como estando presente em todos os lugares pelo Seu Espírito, como o Onipresente. "Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome [embora não seja visto por vós], [*ESSA FRASE FOI ADICIONADA POR ELLEN WHITE] esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" [João 14:26]. "Mas eu vos digo a verdade; convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei" [João 16:7]." Manuscript Releases Volume Fourteen, Page 23 and 24.

Outras citações dos testemunhos confirmam esta verdade – veja:

"O Espírito Santo é o sopro da vida espiritual na alma. A comunicação do Espírito é a transmissão da vida de Cristo. Reveste o que O recebe com os atributos de Cristo." O Desejado de Todas as Nações, Pág. 805 (1898)

"Cristo declarou que, depois de sua ascensão, Ele enviaria para sua igreja como presente de seu coroamento, o Consolador, que ia tomar seu lugar. Este Consolador é o Espírito Santo a alma da Sua vida, a eficácia de sua igreja, a luz e vida do mundo. Com o Seu Espírito, Cristo envia uma influência reconciliadora e poder para retirar o pecado". This Day with God, Page 257.

"Jesus está esperando para soprar o fôlego em todos seus discípulos, e lhes dá a inspiração do seu santificado espírito, e transfundir a sua influência vital para o seu povo. ... Jesus está buscando impressionar neles o pensamento que dando o Seu Espírito Santo Ele está dando a eles a glória que o Pai lhe deu, para que Ele e o seu povo possam ser um em Deus.". The Signs of the Times, 10-03-1892. (Sinais dos Tempos – Ellen G. White) 

7 - O pecado contra o Espírito Santo

Um outro argumento apresentado para favorecer a crença em um "deus" Espírito Santo é o fato de que o pecado contra o Espírito Santo não tem perdão. Dizem que negar a "divindade" do Espírito Santo é igual a negar a Deus. Todavia, não é isto que Cristo nos ensinou através dos testemunhos. Cristo nos diz que "pecar contra o Espírito Santo" é algo bem diferente do que negar a "divindade" deste. Veja:

"Irmão P., o irmão pergunta se cometeu o pecado que não tem perdão nesta vida nem na vida por vir. Respondo: Não vejo a menor evidência de ser esse o caso. Que constitui o pecado contra o Espírito Santo? - Está em voluntariamente atribuir a Satanás a obra do Espírito Santo. Por exemplo: Suponhamos que alguém seja testemunha de uma nova manifestação especial do Espírito de Deus. Possui prova convincente de que o fato está em harmonia com as Escrituras, e o Espírito testemunha com seu espírito que é de Deus. Depois, entretanto, a pessoa cai em tentação; orgulho, convencimento, ou qualquer outro mau traço, a dominam; e, ao rejeitar todas as provas de seu divino caráter, declara que tudo o que antes reconhecera como sendo o poder do Espírito Santo era apenas o de Satanás. É por meio de Seu Espírito que Deus opera no coração humano; e quando o homem voluntariamente rejeita o Espírito, e declara ser o de Satanás, intercepta o conduto por meio do qual Deus Se pode comunicar com ele. Pela negação da prova que Deus Se dignou conceder-lhe, apaga a luz que lhe estivera a brilhar no coração, e, como resultado, é deixado em trevas." Testemunhos Seletos, Vol. 2, pág. 265

Talvez você ainda se pergunte: "mas Ellen G. White não escreveu textos que apóiam a doutrina da trindade nos livros Evangelismo e Desejado de Todas as Nações"? A verdade é que não, ela não escreveu nenhum texto que apóia a doutrina da "trindade". O livro Evangelismo foi escrito em 1946 e Ellen G. White morreu em 1915. Assim, o livro Evangelismo apresenta textos que foram modificados dos originais para dar a entender aos membros da igreja que ela havia mudado de opinião e passado a crer na doutrina da "trindade" após 1898. Como ela já estava morta, não pode revisar o livro. Todavia, deixou bem claro, para quem quisesse saber a verdade, que não mudou de opinião em nenhum aspecto da verdade após 1898, como dizem os pastores atualmente. Veja o que ela mesma escreveu:

"Compreendi que alguns estavam ansiosos de saber se a Sra. White mantinha os mesmos pontos de vista de anos atrás, quando a haviam ouvido falar no bosque do hospital, no Tabernáculo e nas reuniões campais realizadas nos subúrbios de Battle Creek. Assegurei-lhes que a mensagem que ela apresenta hoje é a mesma que tem apresentado durante os sessenta anos de seu ministério público. Ela tem a fazer para o Mestre o mesmo serviço que sobre ela foi posto em sua juventude. Recebe lições do mesmo Instrutor. As instruções a ela dadas, são: "Dá a conhecer a outros o que te tenho revelado. Escreve as mensagens que te dou, para que o povo as tenha." Isto é o que ela tem-se esforçado por fazer. 

Tenho escrito muitos livros, e tem-lhes sido dada ampla circulação. De mim mesma eu não poderia haver salientado a verdade contida nesses livros, mas o Senhor tem-me dado o auxílio de Seu Santo Espírito. Esses livros, transmitindo as instruções a mim dadas pelo Senhor durante os sessenta anos passados, contêm esclarecimentos do Céu, e resistirão à prova da investigação

Na idade de setenta e oito anos, estou ainda lidando. Estamos todos nas mãos do Senhor. Confio nEle; pois sei que Ele nunca deixará nem abandonará os que nele põem a confiança. Tenho-me entregue a Sua guarda. 

"E dou graças ao que me tem confortado, a Cristo Jesus Senhor nosso, porque me teve por fiel, pondo-me no ministério." I Tim. 1:12" Review and Herald, 26 de julho de 1906." Mensagens Escolhidas, Vol. 1, pág. 35

Ao comparar as afirmações que têm sido feitas pelos pastores e líderes para impor a doutrina da "trindade" e a crença da divindade do "Espírito Santo" com as verdades dadas a nós por Jesus através dos testemunhos, percebemos uma triste realidade. Deus não muda. Deu uma verdade para a igreja no passado, de que a "trindade" faz parte do vinho de Babilônia. Mas a igreja mudou, dizendo hoje que a "trindade" não é o vinho de Babilônia, e sim uma doutrina bíblica.

Em anexo, encaminhamos um material que apresenta cópias com as respectivas traduções de publicações das revistas "Review and Herald" (Revista Adventistas dos Estados Unidos), nas quais os pioneiros repetidas vezes declaram que a doutrina da "trindade" faz parte do vinho de Babilônia, constituindo-se em um erro e não possuindo qualquer base bíblica ou lógica para ser sustentada. O irmão pode lê-lo e fazer suas constatações. Embora nossos pioneiros fossem tão enfáticos em condenar esta doutrina, vemos que os pastores da atualidade tentam impô-la aos membros da igreja, excluindo os que se recusam a crer nela, chamando-os depois de dissidentes e críticos da igreja por não concordar com suas doutrinas.

Acompanharia ou sancionaria Deus a mudança da igreja? Nunca. Suas verdades são o fundamento do próprio Universo. Os pastores da Conferência Geral e os teólogos das universidades adventistas estão se desviando da verdade dada por Deus a esta igreja através dos testemunhos. Estão se apostatando da verdade, e por isso estão se desviando de Deus mesmo. E você, o que fará? Orará para que Deus interfira, posicionar-se-á ao lado da verdade e denunciará o erro, ou será levado pelo vento de apostasia doutrinária que leva hoje a maioria dos líderes e membros da igreja? O testemunho é claro quanto ao que Deus espera de nós neste tempo:

"Quando a religião de Cristo for mais desprezada, quando Sua lei mais desprezada for, então deve nosso zelo ser mais ardoroso e nosso ânimo e firmeza mais inabaláveis. Permanecer em defesa da verdade e justiça quando a maioria nos abandona, ferir as batalhas do Senhor quando são poucos os campeões - essa será nossa prova. Naquele tempo devemos tirar calor da frieza dos outros, coragem de sua covardia, e lealdade de sua traição." Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 31

"Os homens poderão apresentar um ardil após o outro, e o inimigo procurará desviar as almas da verdade, mas todos os que crêem que o Senhor tem falado por intermédio da irmã White, e lhe tem dado uma mensagem, estarão livres dos muitos enganos que surgirão nestes últimos dias." Mensagens Escolhidas, vol. 3, págs. 83 e 84.

Nosso sincero desejo é que você faça parte deste grupo que estará livre dos muitos enganos que Satanás está apresentando nestes últimos dias.

Que Deus te abençoe,

Ministério 4 Anjos

 

RETORNAR