Make your own free website on Tripod.com

DÍZIMOS: Uma Palavra ao Clero!

"A única coisa necessária para que o mal triunfe, é que os homens bons não façam nada”. Edmond Burke

 

Quando meu último filho estava para nascer, muitas e muitas vezes, orei a Deus para que no futuro ele viesse a se tornar um pastor da IASD, porém com o passar dos anos, e com um conhecimento melhor do que é estar envolvido na liderança de uma organização que na maioria dos casos descaracteriza a função pastoral, uma vez que para os líderes dos escalões superiores, os seus interesses vislumbram muito mais os valores materiais que o espiritual, conseqüentemente nossa igreja tem assumido mais o status de um conglomerado capitalista nada devendo as grandes multinacionais, que o status de uma agencia ganhadora de almas.Neste contexto, infelizmente, mudei minhas orações, a fim de suplicar para meu filho a proteção Divina em qualquer profissão que ele viesse a escolher, e que Deus não colocasse no seu coração o desejo de se envolver no ministério ou na liderança da IASD.

Certamente no clero da IASD há verdadeiros servos do Altíssimo e autênticos pastores, pelo que imagino como tais homens devem sofrer ao terem que cotidianamente conviverem com o conflito de servir a Deus, ou acatar as ordens de líderes totalmente destituídos da visão de que estão em tais posições a fim de servirem e não serem servidos pela Igreja, e que não são administradores de uma empresa ou organização secular.

O EXECUTIVO ECLESIÁSTICO

Ezequiel 34:8 - Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, visto que as minhas ovelhas foram entregues à rapina e se tornaram pasto para todas as feras do campo, por não haver pastor, e que os meus pastores não procuram as minhas ovelhas, pois se apascentam a si mesmos e não apascentam as minhas ovelhas...

Zacarias 11:17 - Ai do pastor inútil, que abandona o rebanho!

            Na cabeça de nossos lideres, administrar uma igreja resume-se, exclusivamente, a dirigi-la de forma a que haja um resultado positivo, quer sob o aspecto financeiro, quer no relacionamento pacifico e amigável entre os membros, bem como entre a comunidade local e os órgãos superiores, aos quais a igreja e especificamente o seu “pastor” estão subordinados (Associação, União, Divisão, etc.).

            Para o “pastor” adventista sua preocupação maior tem sido a de agradar seus superiores hierárquicos, e com isto angariar para si um conceito que o habilite para o exercício de funções que, em sua escala de valores, é mais significativa que a de um mero “pastor”, isto é, o cargo de Departamental, Presidente de Associação, Divisão, União, Diretor de alguma Instituição do conglomerado ASD (hospitais, clinicas, rádio, TV, etc.).

            Deixam-nos transparecer que o foco principal de sua missão está no aspecto numérico, ou seja, mais membros, mais batismos, mais receitas de “dízimos” e ofertas, etc. Apresentam-nos um trabalho eminentemente profissional, o qual deve ser apreciado sob o aspecto material, uma vez que para eles somente importa aquilo que possa ser visto de forma palpável e seja possível de ser mensurado, para o qual se possa atribuir uma escala de valores, onde muitas vezes com tais atitudes promove-se uma acirrada competição entre os “pastores” e os distritos envolvidos.

            Hoje verificamos que o desejo de muitos jovens adventistas de abraçarem o ministério pastoral de sua igreja reside tão somente nas retribuições salariais, e nas vantagens e privilégios que o cargo lhes possa oferecer, além de um mês de férias e mais dois meses de recesso ao ano, há as demais vantagens, tais como:

(Texto do www.adventistas-bereanos.com.br/Arquivos.doc/apostilao_dizimo textos de EGW.doc)

Benefícios Mensais

Auxílio de Aluguel

Este benefício está especificado no item Y 20 05 do Livro de Regulamentos Eclesiástico-Administrativos da DSA. (Praxes)

Compensação de IR Sobre Aluguel

Como o valor do aluguel vem na folha de pagamento, aparecendo registrado em seu contracheque, isto poderá significar fazer o pastor pagar mais imposto de renda. Caso isto aconteça, o Livro de Praxes da DSA, no item Y 20 12 S obriga os tesoureiros dos Campos e Instituições a reembolsarem aos seus obreiros a diferença do imposto de renda pago a mais por conta do auxílio aluguel. No Brasil, o IR é calculado em função do salário anual através de uma tabela progressiva fornecida pela Receita Federal. O IR pode chegar a 27,5%. Estimamos que o reembolso de IR devido ao auxílio aluguel pode chegar a R$ 200,00. Isso é uma estimativa. Este valor pode ser maior ou menor.

Ajuda de Quilometragem

Quilometragem (item Y 30 20 S do Livro de Praxes)

Custo de depreciação (desvalorização) do veículo (Y 30 20 S 4 a)

Custo do óleo, pneus e despesas menores de manutenção (Y 30 20 S 4 b)

Seguro obrigatório (Y 30 20 S 4 d)

Seguro de Veículos

A corporação adventista reembolsa 100% das despesas de seguro dos automóveis dos pastores. (Praxe Y 30 25 S)

Assistência Médica

Os itens Y 20 15 e Y 20 16 do livro de Praxes especificam as possíveis formas de auxílio com Assistência Médica. O obreiro pode ser beneficiado com o reembolso de 75% do tratamento médico, odontológico ou oftalmológico ou com o reembolso de 75% de um plano de assistência médica

Plano de Previdência

De acordo com o livro de Praxes (ZZ 30 05 - Art. 48), cada obreiro contribui com 2,5% de seu salário bruto (aproximadamente R$ 30,00) e a patrocinadora (associação/missão) contribui com um valor correspondente a 4,5% do FPE (teto). Ao final da jornada, o pastor aposenta-se pelo INPS e recebe uma complementação chamada “Aposentadoria pela Obra”

Ajuda para Aulas de Música

Os pastores e familiares que desejarem estudar música terão um auxílio de 50% (Y 20 34)

Ajuda Por Filhos

o livro de Praxes (item Y 20 45 S) assegura-lhes o direito de receber 13 vezes por ano uma ajuda equivalente entre 4,62 e 6,46% do FPE (teto) dependendo da idade do filho. Para cada filho com menos de nove anos o pastor recebe R$ 810,81 por ano e para cada filho com mais de nove anos e menos de 18 anos o pastor recebe R$ 1.133,73 por ano

IPTU e Condomínio

O livro de praxes (item Y 20 10 7) determina que os obreiros e pastores recebam integralmente o reembolso de taxas de condomínio de seus apartamentos e também o reembolso do IPTU

Bolsas Educacionais

O livro de praxes (Y 20 30). Ganham este benefício os filhos até 19 anos ou 26 anos se forem universitários. Se os filhos ainda são pequenos e estudam em uma escola particular secular de ensino médio, o auxílio é de apenas 50%. Se os filhos já forem adolescentes, e quiserem ir para os nossos internatos o auxílio sobe para 75%.

Se o filho é universitário e mora com os pais, 75% da matrícula e mensalidades são reembolsadas. Mas, se o filho for universitário e morar em outra cidade, mesmo que estude numa faculdade gratuita federal ou estadual, o pastor ganhará um auxílio em dinheiro igual a 75% do estipêndio da faculdade adventista

 

É difícil calcular o ganho extra que este auxílio educação significa para nossos pastores, pois dependerá do número de estudantes que tiver em sua família. Mas vamos imaginar uma situação muito comum. Um pastor tem o filho mais velho em uma Universidade Federal, o segundo filho cursando o segundo grau no IASP e o filho mais novo no primeiro grau.

 

·        Auxílio para o Filho mais Velho = R$ 700,00 (Auxílio mesmo com Universidade Gratuita)

·        Auxílio para o Segundo Filho = R$ 300,00 (Reembolso de 75% sobre a mensalidade de R$ 400,00)

·        Auxílio para o Filho mais Novo = R$ 150,00 (Reembolso de 50% sobre a mensalidade de R$ 300,00)

·        Total R$ 1.150,00. Na verdade este é um valor aproximado que pode variar de mil a dois mil reais. Vamos considerar R$ 1.150,00 de ganho extra do auxílio educação.

Alguns pastores ganham cursos de Inglês, Informática, mas não vamos considerar estes benefícios aqui.

Na simulação acima podemos afirmar que um pastor adventista ganha um bom salário mensal. Vejamos o total:

 

Salário Básico

R$ 1.350,00

Aluguel Residencial

R$ 1.000,00

Quilometragem

R$    350,00

Seguro Automóvel

R$    150,00

Plano de Saúde

R$    450,00

Previdência Privada

R$      70,00

Auxílio Musical

R$    150,00

Cota Pais

R$    243,00

IPTU + Condomínio

R$    250,00

Auxílio Educação

R$ 1.150,00

 

 

Total Geral Estimado:

R$ 5.163,00

 

Auxílios Anuais e Esporádicos

Além dos auxílios mensais, existe uma série de auxílios anuais e esporádicos. Vamos mencionar apenas alguns:

Seguro de Vida e contra Acidentes

O item Y 25 05 do livro de praxes obriga as instituições denominacionais a fazerem o seguro de vida dos seus pastores, esposas e filhos dependentes contra acidentes de viagem e morte acidental. Em 1998, época em que o livro de praxes foi revisado, os valores deste seguro eram os seguintes: Para obreiros e pastores da Divisão (valor mínimo: US$ 75.000,00 e valor máximo: US$ 150.000,00). Para os demais obreiros que não são da Divisão (valor mínimo: US$ 50.000,00 e valor máximo: US$ 75.000,00). Cônjuge do obreiro (valor mínimo: US$ 15.000,00 e valor máximo: US$ 20.000,00). Filhos dependentes do obreiro (valor mínimo: US$ 5.000,00 e valor máximo: US$ 10.000,00)

Despesas Odontológicas

De acordo com o item Y 20 17 S as despesas odontológicas dele e da família estão cobertas, obedecendo aos seguintes critérios:

§         Aparelhos Ortodônticos - 75% de auxílio.

§         Tratamentos Dentários - 50% de auxílio.

§         Auxílios concedidos para, no máximo, sobre R$ 2025,00 de despesas por ano.

Outros benefícios

§         Tratamentos em Centros de Vida Saudável e Clínicas - 75% de auxílio (Y 20 17 S).

§         Despesas Oftalmológicas (incluindo Óculos e Lentes de Contato) - 75% de auxílio. (Y 20 16 S)

§         Próteses e Aparelhos Ortopédicos - 75% de auxílio. (Y 20 16 S)

§         Despesas com Livros, Revistas e Equipamentos: 50% de auxílio (Y 20 55 S).

§         Direitos Autorais - Dependendo do tipo de livro pode chegar a 10% do preço (FP 45 10)

Mudança de Residência

A Corporação Adventista paga todos os custos de mudança quando um pastor é transferido de uma localidade para outra. Veja como funciona:

Os obreiros têm direito de transportar 2.725 quilos + 335 quilos por filho. Se sua mudança não alcançar este peso estipulado pela Praxe, o pastor receberá em dinheiro um prêmio de US$ 0,75 por quilo não transportado (item Y 20 29 S 3).

Na época da mudança, o pastor tem direito a três diárias completas em um bom hotel no local de origem com toda a família e mais dez diárias em um bom hotel com sua família no local de destino.

Se houver um acidente a mobília estará totalmente segurada sem nenhum custo para o pastor.

Para despesas incidentais como a quebra ou extravio de qualquer objeto, o pastor recebe 40% do teto mais 4% por filho. Uma família de cinco pessoas receberá exatamente R$ 702,00, mesmo que não quebre ou avarie qualquer peça em sua mudança.

Se um pastor mudar-se para o exterior, poderá deixar sua mudança no Brasil e receber US$ 2.00 por quilo que teria direito de levar. (2.725 quilos + 335 quilos por filho).

Despesas Fúnebres

Se, infelizmente, falecer um parente direto (filho, filha, esposa), o pastor terá um auxílio de 75% sobre as despesas fúnebres até um máximo de R$ 3.375,00 (2,5 FPE) (item Y 20 40). Com certeza, este é o único auxílio que ninguém deseja receber! Se falecer um dos pais do pastor ou um dos pais de sua esposa ou ainda um de seus filhos, ele terá direito a um auxílio de 50% das passagens da viagem (ida e volta) para duas pessoas. Este é um auxílio pouco desejável, mas que nenhum de nós teríamos ao trabalhar para uma empresa comum.

 

Recentemente tive que desestimular o desejo de um jovem em se tornar um “pastor” não tive coragem de mostrar-lhe as vantagens que a Organização oferece, para que o mesmo não fosse vencido pela tentação, apenas tornei claro que a verdadeira função pastoral, segundo os ensinamentos bíblicos, está a anos luz de distância das práticas que observamos na igreja, e que a verdadeira recompensa não pode ser traduzida em bens ou privilégios terrenos e transitórios, e por outro lado em qualquer profissão podemos ser muito mais útil a Deus que no atual ministério da IASD.

AMANTE DE ALMAS

João 10:11 -.... O bom pastor dá a vida pelas ovelhas.

Nestes meus quase trinta anos de militância no adventismo, conheci um executivo eclesiástico na IASD Central de João Pessoa que mais se assemelhou a um verdadeiro pastor, uma vez que foi o único que conseguiu visitar, mais de uma vez, todos os irmãos de nossa comunidade, composta por aproximadamente 400 membros. Era um pastor simples, não possuía automóvel, não me recordo de que ele tenha usado férias ou o recesso de junho e julho, locomovia-se, na maioria das vezes, de ônibus, e não era incomum vê-lo caminhando a pé em visitas aos nossos lares, para ele uma alma tinha um único valor quer fosse rica, pobre ou miserável.

Era um excelente conselheiro e pregador. Durante os anos em que esteve à frente da Igreja Central de João Pessoa, experimentou-se um nível de espiritualidade jamais alcançado após sua partida. Naqueles anos nossa igreja cresceu em numero de membros, sem que fosse promovida nenhuma campanha evangelística. Também nesses anos atingiu-se o menor índice de apostasia, bem como não se observou a separação de nenhum casal da igreja, e que eu me lembre não se eliminou nenhum jovem por experiência pré-matrimonial. Ele foi o único que teve a coragem de mudar nosso sistema de arrecadação de ofertas e “dízimos”, aboliu a passagem das “sacolinhas” pelos diáconos e colocou, na entrada da igreja, um gazilofilácio onde os irmãos depositavam suas oferendas monetárias.

PONDERAÇÕES

I Timóteo 6:10 - Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.

Creio que muitos sinceros “pastores” adventistas, e mesmo muitos irmãos se tem questionado a respeito de algumas situações que, apesar de serem comuns e rotineiras, atentam para o mais simplório senso de justiça, tais como:

·        Porque o nível econômico do clero adventista é tão elevado em comparação com a grande maioria da membresia da Igreja, principalmente no nordeste brasileiro, e em muitos países da África?

·        Por que “dízimos” e grande parte das ofertas que são canalizados para os órgãos superiores não atende de forma justa aos mais necessitados, isto é porque existe em nosso meio, igrejas que ostentam luxo e coisas supérfluas e são assistidas por vários “pastores”, enquanto muitos não têm nem mesmo as mínimas condições de adoração, e passam meses sem receber a visita pastoral?

·        Porque os edifícios administrativos constituem-se em verdadeiras obras faraônicas, enquanto que muitos prédios de igrejas são tão vergonhosos?

 (www.adventistas.com/julho2002/igrejas_pr/album_igrejas_pr.htm)

·        Por que as instituições da IASD (Hospitais, clinicas, escolas etc) não beneficiam aos membros pobres da igreja, garantindo-lhes serviços gratuitos ou subvencionados, uma vez que todo este patrimônio foi ao longo do tempo foi construído com ofertas e “dízimos” extraído da membresia da Igreja?

·        Por que a Divisão Norte Americana é muitas vezes escolhida para ser beneficiada com as ofertas da escola sabatina, quando se imagina que tal projeto foi criado para ajudar as regiões pobres do planeta onde se encontra dificuldade para o desenvolvimento da mensagem adventista, principalmente financeira?

Não há como negar que a estrutura administrativa, bem como o objetivo fundamental da IASD sofreu profundamente pela influência do amor ao vil metal, oferecido pelas mudanças introduzida na mordomia da igreja pelo Sr Canrigh, em sua fome arrecadatória, pelo que a igreja mudou o foco de sua missão que deveria ser a salvação de alma, o serviço às comunidades, bem como fidelidade aos princípios do evangelho, para tornar-se institucionalista, isto é, o principal passou a ser manter-se como uma instituição rica, poderosa financeiramente, capaz de bancar privilégios e vantagens, neste sistema a conversão de uma alma baseia-se unicamente em numero que represente fonte de recursos, ou seja, o se oferece como motivação para os membros trabalharem é o ufanismo de sermos grande em número, e conhecidos mundialmente como uma igreja poderosa, em organização, em instituições escolares e hospitalares, as quais foram idealizadas para o evangelismo (lembrem-se o evangelho compromete-se com os pobres Lucas 4:18.) e hoje são usadas de forma capitalista, onde o resultado é serve para beneficiar a casta dominante.

Diante deste quadro os escândalos financeiros são inevitáveis, uma vez que a tentação de locupletar-se dos bens materiais que o patrimônio deste grande conglomerado pode oferecer, derruba e corrompe os que, infelizmente, se rendem as glorias deste mundo, por isto a título de ilustração fazemos referência ao mais recente escândalo financeiro que foi impossível a cúpula da IASD de esconder:

ANN Bulletin Adventist News Network

Seventh-day Adventist Church World Headquarters 
July  28, 2005 
In This Issue: 
---------------------------------------------------------------------------------------------------
América do Norte: Região Eclesiástica dos Lagos Se Reúne Após Auditoria Encontrar 
Irregularidades Berrien Springs, Michigan, United States .... [Gary Burns/ANN Staff] 
---------------------------------------------------------------------------------------------------
 
Líderes da Associção da Região dos Lagos, dos adventistas do sétimo dia, uma região 
eclesiástica constituída por cinco estados americanos, estão acompanhando os 
acontecimentos na área administrativa do campo. Uma reunião especial de membros 
foi realizada em 24 de julho em que dirigentes da Associação da Região dos Lagos 
ajudaram a explicar aos membros e pastores decisões que levaram a importantes 
mudanças de liderança e emprego na área administrativa do referido campo. 
 
"Por favor, orem por sua Igreja, pela Associação da Região dos Lagos, e por todos 
quantos estão envolvidos", disseram os Pastores George C. Bryant, presidente em 
exercício do campo, e Walter L. Wright, presidente da União da Região dos Lagos, 
numa declaração. 
 
A reunião seguiu-se a uma petição por 20 por cento das Igrejas na região eclesiástica 
e a sessão especial foi convocada inicialmente para eleição de um novo presidente de 
campo regional, após uma auditoria ter revelado irregularidades nas operações da 
associação. 
 
Provisões constitucionais impediram a eleição de um novo presidente durante a sessão 
especialmente convocada. Os constituintes votaram pela reforma da constituição e 
praxes  sobre o processo de eleição de um presidente e trazem uma recomendação aos 
delegados de futuras sessões. 
 
Uma investigação interna prossegue sobre supostas questões financeiras na Associação 
da Região dos Lagos. Os participantes da reunião extraordinária ouviram sobre decisões 
administrativas pela comissão executiva da Associação, como resultado da investigação 
inicial. 
 
Foi anunciado que a comissão executiva da Associação da Região dos Lagos, dispensou 
um oficial, o Pastor Hugo Gambetta, vice-presidente e diretor de ministérios 
multilingüísticos, de sua posição, e o removeram de suas funções ministeriais. O 
tesoureiro da região eclesiástica, Pastor Leroy B. Hampton renunciou após ser 
colocado numa dispensa administrativa. Três outros empregados da área financeira 
da Associação da Região dos Lagos também deixaram suas funções. 
 
Quatro pastores locais, Ciro Aviles, Jose Osmin Hernandez, William Rojas e Alfredo Solis, 
foram postos em licença administrativa, na dependência de outras medidas 
administrativas. Seguindo-se à perda desses funcionários eclesiásticos, o Pastor Carmelo 
Mercado, vice-presidente geral da União da Região dos Lagos, foi designado a prestar 
assistência à Associação da Região dos Lagos. 
 
É profunda intenção da liderança eclesiástica ser transparente, no interesse de todos os 
interessados, declarou os Pastores Wright e Bryant. A Associação da Região dos Lagos 
foi organizada em 1945 e operava a partir de Chicago, Ill. Seu território inclui igrejas em 
Illinois, Indiana, Michigan, Minnesota e Wisconsin. O escritório opera 109 igrejas, que são 
casas de oração para 27.541 membros. Também opera oito escolas e um acampamento de 
jovens. A administração da associação fornece à congregação local recursos pastorais. 
Adicionalmente, propicia apoio para várias iniciativas ministeriais mediante diretores 
departamentais, assistentes e coordenadores de área. 

Estas e outras questões que afligem a mente dos genuinamente adventistas do sétimo dia, é a razão de crermos. que em breve o Senhor Deus haverá de promover uma reforma em seu povo, não na organização, e esperamos que ela comece no clero, a exemplo do que ocorreu na idade média, pois da maneira que estar fica impossível continuarmos achando que como igreja estamos cumprindo os reclamos do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

Com estas reflexões estamos encerrando a serie de reavaliação sobre a doutrina dos dízimos na IASD, embora reconheça que o assunto não se esgotou, e que esporadicamente poderemos retomá-lo.

Heráclito Fernandes da Mota

Membro da IASD João Pessoa(PB)

heraclitomota@superig.com.br

 

Leia os tópicos anteriores:

1 - Revisando o Assunto

2 - Princípios de Validade Eterna

3 - Finanças na IASD - parte I

4 - Finanças na IASD - parte II

5 - A Compulsão Sistemática

6 - A História Mal Contada da Introdução do Dízimo na IASD

7 - Conheça o Versículo que DEUS não incluiu em Malaquias 3.

8 - Faça o que EGW mandou, JAMAIS o que ela fez!

São os Dizimistas Culpado Pelo Mal Uso dos Dízimos? By Pr Osvair Munhoz

 

RETORNAR