Make your own free website on Tripod.com

DÍZIMO: Revisando o Assunto

“A mentira é como uma bola de neve, quanto mais se prossegue com ela maior ela fica” 
Martin Luther King

Após haver veiculado na Internet algumas mensagens abordando o assunto do dízimo, entre elas as que mais repercutiram foram as seguintes: 1 - ASSIM DIZ O SENHOR: DÍZIMO NÃO Ë DOUTRINA NEOTESTAMENTÁRIA, 2 - QUATRO CURIOSIDADES SOBRE O DÍZIMO QUE SEU PASTOR NUNCA LHE CONTOU, 3 - VAI E VENDE TUDO, recebi de alguns irmãos leigos vários questionamentos, os quais considero importantíssimos para uma melhor apreciação do tema, pelo que renovei meus estudos sobre o assunto, até porque, com certeza, estou sujeito a erros, pecados ou equívocos.

Interessante é que também remeti o primeiro texto à aproximadamente uns setenta pastores da IASD, sendo que somente dois deles tiveram a humildade em dar-me um “feedback” sobre o assunto, um para, de maneira fraterna, aconselhar-me, o outro, infelizmente, para atacar-me com acusações de que eu era um perturbador em Israel, ou de que eu pretendia, como se a um pobre coitado como eu fosse possível, destruir o grande império da IASD.

O fato é que ninguém, até o momento, me apresentou, com embasamento exclusivamente bíblico, de preferência com exemplos vividos pela igreja neotestamentária, um estudo em que ficasse evidenciado a prática dos dízimos pelos crentes da nova aliança, mas ainda aguardo que alguém se disponha a esta tarefa, a qual nos parece uma missão impossível.

Confesso que a princípio meus questionamentos restringiam-se tão somente aos aspectos administrativos das finanças da Igreja, tais como: malversação de fundos, privilégios dos líderes, descontroles de custos etc., entretanto senti a necessidade de proceder a uma investigação do tema, principalmente sob o aspecto do amparo bíblico a tal preceito, foi então que minha visão se ampliou, e surpreendi-me com o sentido contido nas revelações das Escrituras Sagradas.

Motivei-me também a colher informações de artigos publicados por pastores da IASD, nos quais fosse abordado o aspecto histórico de nossas finanças, mesmo sabendo que tais textos tenham sido preparados com a especial finalidade de imprimir em nossa mente um sentimento de submissão a liderança, a tal ponto que sentíssemos medo de investigar sob outros anglos, os quais venham a contrariar os velhos e pré-concebidos conceitos.

Não tenho, nem jamais tive, a intenção de negar a origem bíblica dos dízimos, ou de obscurecer a necessidade de fundos ou meios para a manutenção dos propósitos laborativos originados na soberania Divina, tanto para o antigo Israel, quanto para a Igreja cristã hodierna.

No entanto devemos considerar os diversos aspectos que envolvem os dois grupos, e, também, ter em vista as condições, tanto sócio religiosa, quanto aos objetivos e as circunstâncias que motivaram a Deus de efetivar alianças distintas com as partes envolvidas, as quais tem características e propósitos que somente se aplicam exclusivamente a cada época envolvida.

Tomando por base as colocações dos irmãos, e a necessidade de uma investigação mais detalhada a fim de desanuviar as duvidas, e percebendo que as novas pesquisas sobre o assunto nos levam a um resultado minucioso e um pouco extenso, o que para o leitor apressado, poderia se tornar cansativo e enfadonho abordá-lo em apenas um texto, iremos disponibilizá-las em várias partes, as quais pretendemos envia-las, sucessivamente, para publicação.

Nesta nova revisão do tema, confirmamos nossa compreensão anterior, a qual fundamenta-se sobre os seguintes aspectos: 1 – DÍZIMO É DOUTRINA VINCULADA AO SACERDÓCIO LEVÍTICO; 2 – SOB O SACERDÓCIO DO VELHO TESTAMENTO, SOMENTE DETERMIONADAS PESSOAS ESTAVAM OBRIGADAS AO DÍZIMO, CUJA APLICAÇÃO TINHA TAMBÉM O CUNHO SOCIAL; 3 – DÍZIMO JAMAIS FOI CONTRIBUIÇÃO EM DINHEIRO; 4 – NA IGREJA NEOTESTAMENTÁRIA NÃO SE EXIGIA DÍZIMO, 5 – TODA MODOMIA CRISTÃ FUNDAMENTA-SE NA LIBERDADE DO MORDOMO, E DESTINA-SE SEMPRE A UMA CAUSA SÓCIO RELIGIOSA.

Tendo em vista que o mais importante em qualquer discussão é o saber ouvir e respeitar o contraditório, conclamo a todos os interessados e simpatizantes deste empolgante e necessário estudo que se manifestem com sua opinião, principalmente se não concordar com os argumentos por nós explanados.

 

Heráclito Fernandes da Mota

Membro da IASD João Pessoa(PB)

 

Voltar ao Indice

RETORNAR