Make your own free website on Tripod.com

 Ellen Gold White e os Pioneiros dizem...

 

Trataremos de um tema muito sério que envolve todos nós. Explico rapidamente em tópicos:

- A Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) foi levantada por Deus pelo cumprimento da profecia das 2300 tardes e manhãs, em 22 de outubro de 1844;

- A IASD foi estabelecida oficialmente como igreja em 1863, e teve o privilégio de receber mensagens diretamente do Céu por intermédio da irmã Ellen G. White, que a guiaram e a fundamentaram. A obra dada por Deus a Ellen G. White era bem definida, conforme ela mesma declara:

"Estou muito ocupada em escrever. Cedo e tarde, estou escrevendo os assuntos que o Senhor expõe diante de mim. A responsabilidade de minha obra é preparar um povo que permaneça em pé no dia do Senhor. Carta 371, 1907. " Mensagens Escolhidas, Vol. 3, pág. 49.

Assim, faria bem a cada adventista do sétimo dia atentar bem para os conselhos dados por ela à igreja. Afinal, eles são os testemunhos de Jesus dados a nós.

- Em 1905, Ellen G. White escreveu:

“Deus me tem dado luz acerca dos nossos periódicos. O que é isto? Ele falou que os mortos hão de falar; como? As suas obras os seguirão. Nós estamos repetindo as palavras dos pioneiros em nosso trabalho; de quem sabe quanto custa procurar pela verdade como um tesouro escondido. Eles avançaram passo por passo sob a influência do Espírito de Deus. Um por um desses pioneiros já morreu. A palavra que me foi dada é: Faça com que, o que esses homens escreveram no passado, torne a ser escrito.

 Quando o homem vier mover um alfinete do nosso fundamento o qual Deus estabeleceu pelo seu Santo Espírito, deixe os homens de idade que foram os pioneiros no nosso trabalho falar abertamente, e os que estiverem mortos falem também, reimprimindo os seus artigos das nossas revistas. Juntemos os raios da divina luz que Deus tem dado, e como Ele guiou seu povo, passo a passo no caminho da verdade. Esta verdade permanecerá pelo teste do tempo e da experiência.” 24 de Maio de 1905 - Manuscript Releases Vol. 1 pág. 55.

 

Sabendo que através de Ellen G. White foram dados os testemunhos de Jesus para a Igreja Adventista do Sétimo Dia, e considerando o que diz o testemunho acima, de que os artigos dos pioneiros deveriam ser re-impressos para que os homens não se desviassem do fundamento que Deus deu, em obediência a este testemunho, apresentamos alguns destes artigos dos pioneiros, publicados na Review and Herald, a Revista Adventista dos EUA, a principal publicação adventista (os originais escaneados seguem no endereço www.arquivoxiasd.com.br/parte2.htm, além de confirmar a autenticidade dos documentos poderá adquirí-los da própria sede mundial da iasd.

 

JAMES WHITE – Review and Herald - 07 de fevereiro de 1856

“A grande falta da Reforma foi que os reformadores pararam de reformar. Se tivessem  levado avante, não teriam deixado nenhum vestígio do papado atrás, tal como a natural imortalidade, batismo por aspersão, a trindade, a guarda do domingo, e a igreja agora estaria livre de erros escriturísticos.”

(Nota: James White é o nome de Tiago White, marido de Ellen G. White, que foi presidente da Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia por dois mandatos).

 

J.N. Lougborough – Review and Herald - 05 de novembro de 1861

“Esta doutrina da Trindade foi trazida para a igreja no mesmo tempo em que a adoração de imagens, e a guarda do domingo e não é mais do que a doutrina dos persas remodelada.”

 

JAMES WHITE – Review and Herald - 10 de novembro de 1863

A Doutrina da Trindade Degrada a Expiação

O grande equívoco dos trinitarianos, ao argumentarem esse assunto, parece ser esse: Eles não fazem diferença entre negar a Trindade e negar a divindade de Cristo. Eles só vêem os dois extremos em que está a verdade; tomam cada expressão referente à preexistência de Cristo como uma prova da Trindade. As Escrituras ensinam abundantemente a preexistência de Cristo e a sua divindade, mas são inteiramente silenciosas quanto à Trindade. A declaração que o divino Filho de Deus não morre, está tão longe dos ensinamentos da Bíblia como as trevas da luz. Eu perguntaria aos trinitarianos: A qual das duas naturezas devemos a redenção? A resposta seria obviamente a natureza que morre e que derramou seu sangue por nós; “pela qual tivemos redenção pelo seu sangue”. Então fica evidente que unicamente a natureza humana morre, e o nosso redentor é unicamente humano. O divino Filho de Deus não teve parte na nossa salvação, pela qual não morreu e nem sofreu. Eu estava certo, quando disse que a doutrina da Trindade degrada a expiação, trazendo o sacrifício, o sangue pelo qual fomos comprados, para baixo num padrão de comprometimento.

 

R.F. Cottrell – Review and Herald - 06 de julho de 1869

 

“Sustentar a doutrina da Trindade, não é mais que uma evidência da intoxicação pelo vinho que todas as nações beberam. O fato dessa ser uma das principais doutrinas, senão a principal, pela qual o bispo de Roma foi exaltado ao papado, não recomenda muito em seu favor. Isto deveria fazer alguém investigar por si mesmo, como quando os demônios fazem milagres para provar a imortalidade da alma. Se eu nunca duvidei antes, agora eu tenho que ir até o fundo para provar... ”

 

JAMES WHITE – Review and Herald - 06 de julho de 1869

“Que uma pessoa seja três pessoas, e que três pessoas sejam uma só pessoa, é uma doutrina que nós podemos proclamar ser um doutrina contrária à razão e ao senso comum.”

 

Quando, em obediência ao conselho dos testemunhos dados a Ellen G. White, reapresentamos os artigos dos pioneiros de nossa fé para que nós não nos desviemos da verdade, vemos qual era a verdade dada por Deus aos pioneiros adventistas - que não há luz bíblica para se crer em uma "trindade". Ellen White foi comissionada por Deus a escrever, em 1905, após todos os artigos que apresentamos acima terem sido publicados na Review and Herald (Revista Adventista):

 

Quando o homem vier mover um alfinete do nosso fundamento o qual Deus estabeleceu pelo seu Santo Espírito, deixe os homens de idade que foram os pioneiros no nosso trabalho falar abertamente, e os que estiverem mortos falem também, reimprimindo os seus artigos das nossas revistas. Juntemos os raios da divina luz que Deus tem dado, e como Ele guiou seu povo, passo a passo no caminho da verdade. Esta verdade permanecerá pelo teste do tempo e da experiência.” 24 de Maio de 1905 - Manuscript Release Vol. 1 pág. 55.

 

A pergunta que pode então vir a mente é: se de fato as coisas eram assim tal como os testemunhos e os artigos dos pioneiros dizem, porque a Igreja Adventista do Sétimo Dia passou a crer na doutrina da "trindade"? Como a igreja que dizia através de sua mais importante revista (Review and Herald) que a "trindade" era o vinho de Babilônia passou a dizer anos mais tarde que esta doutrina é claramente fundamentada na Bíblia? Teria Deus autorizado esta mudança através dos testemunhos de Ellen G. White? Encontramos um testemunho dado à serva do Senhor que responde satisfatoriamente esta pergunta:

 

Nós não podemos aceitar as palavras daqueles que trazem mensagens contradizendo os principais pontos da nossa fé. Eles juntam um mundo de textos e uma pilha de provas que sustentam as suas teorias. Isso tem acontecido sempre nos últimos 50 anos. Enquanto as Escrituras são a Palavra de Deus e devem ser respeitadas, se o que eles mostram altera um pilar do fundamento que Deus tem sustentado nesses passados 50 anos, é um grande engano. Os que recebem essas explicações sabem das maravilhosas demonstrações do Espírito Santo, que nos deu poder e força nas mensagens do passado, que vieram ao povo de Deus.”

Ellen White, 1905, Manuscript Release No. 760: The Integrity of the Sanctuary Truth, pages 18-20

 

Aqueles que defendem a doutrina da "trindade" juntam uma "pilha de provas". Dizem que o Espírito Santo geme, intercede, guia os crentes, etc. e por isso devemos concluir que é um Deus. Como vimos no testemunho acima, se o que eles mostram, se "as pilhas de provas" que apresentam, alteram um pilar do fundamento que Deus sustentou durante cinqüenta anos, até 1905 (quando a IASD não cria na "trindade"), sua doutrina é um "grande engano". Fico feliz porque é o testemunho de Jesus dado a Ellen G. White que afirma isto e não eu. Notamos também que os defensores da "trindade" não apresentam um texto bíblico que diga claramente que "o Espírito Santo é um Deus", pois tal texto não existe.

 

Alguns dizem que a Igreja Adventista do Sétimo Dia não cria na doutrina da "trindade" e passou posteriormente a crer nela porque o conhecimento da verdade sobre Deus foi progredindo, e "a luz é progressiva". Todavia, os testemunhos de Ellen G. White, escritos em 1903 e 1904, afirmam que a igreja estava com os pontos principais de sua fé claramente definidos, e a irmandade estava em harmonia quanto a eles - veja:

 

Os pontos principais da nossa fé, tal como temos hoje, foram firmemente estabelecidos. Ponto por ponto foi claramente definido e toda a irmandade veio em harmonia. A inteira congregação de crentes está estabelecida na verdade. Há aqueles que vieram com estranhas doutrinas, mas nós não tememos encontrá-los. Nossa experiência foi maravilhosa e estabelecida pela revelação do Espírito Santo.”

Ellen White - MS. 1903

 

“"Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntei pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele." Jer. 6:16.

Não procure ninguém remover os alicerces de nossa fé - os alicerces lançados no princípio de nossa obra, pelo piedoso estudo da Palavra e pela revelação. Sobre estes alicerces temos estado a construir nestes cinqüenta anos passados. Poderão os homens supor que tenham achado um novo caminho, e sejam capazes de lançar um alicerce mais firme do que o já lançado. Mas isto é grande engano. Homem nenhum poderá pôr outro fundamento além do que já foi posto.”  (Adventist Review and Sabbath Herald, 03/03/1904) Testemunhos Seletos Vol. 3, págs. 273, 274

 

Perguntamos então: 

 

- se a igreja adventista publicava em sua principal revista, Review and Herald, durante 50 anos, artigos que afirmavam que a doutrina da "trindade" faz parte do vinho de Babilônia;

- se, de acordo com os testemunhos os pontos principais da fé, mantidos durante estes 50 anos, estavam firmemente estabelecidos e não deveriam ser mudados;

- se os crentes estavam em harmonia quando a sua crença, após estes 50 anos passados;

 

quem estava interessado em fazer a mudança doutrinária na Igreja Adventista do Sétimo Dia (fazer com que ela abandonasse sua doutrina original sobre Deus e passasse a crer na "trindade")?

 

Os testemunhos dados por Deus a Ellen G. White respondem:

O inimigo está procurando desviar o espírito de nossos irmãos e irmãs da obra de preparar um povo que subsista nestes últimos dias. Seus sofismas destinam-se a desviar a mente dos perigos e deveres do momento. Avaliam em nada a luz que, por intermédio de João, Cristo deu ao Seu povo, para isso descendo do Céu. Ensinam que as cenas que estão justamente diante de nós não são de importância suficiente para merecer atenção especial. Tornam de nenhum efeito a verdade de origem celestial, roubam ao povo de Deus sua experiência passada, dando-lhes em seu lugar uma ciência falsa.

"Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntei pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele." Jer. 6:16.

Não procure ninguém remover os alicerces de nossa fé - os alicerces lançados no princípio de nossa obra, pelo piedoso estudo da Palavra e pela revelação. Sobre estes alicerces temos estado a construir nestes cinqüenta anos passados. Poderão os homens supor que tenham achado um novo caminho, e sejam capazes de lançar um alicerce mais firme do que o já lançado. Mas isto é grande engano. Homem nenhum poderá pôr outro fundamento além do que já foi posto.”  (Adventist Review and Sabbath Herald, 03/03/1904) Testemunhos Seletos Vol. 3, págs. 273, 274

 

"O inimigo das almas tem procurado introduzir a suposição de que uma grande reforma devia efetuar-se entre os adventistas do sétimo dia, e que essa reforma consistiria em renunciar às doutrinas que se erguem como pilares de nossa fé, e empenhar-se num processo de reorganização. Se tal reforma se efetuasse, qual seria o resultado? Seriam rejeitados os princípios da verdade, que Deus em Sua sabedoria concedeu à igreja remanescente. Nossa religião seria alterada. Os princípios fundamentais que têm sustido a obra neste últimos cinqüenta anos, seriam tidos na conta de erros. Estabelecer-se-ia uma nova organização. Escrever-se-iam livros de ordem diferente. Introduzir-se-ia um sistema de filosofia intelectual. Os fundadores deste sistema iriam às cidades, realizando uma obra maravilhosa. O sábado seria, naturalmente, menosprezado, como também o Deus que o criou. Coisa alguma se permitiria opor-se ao novo movimento. Ensinariam os líderes ser a virtude melhor do que o vício, mas, removido Deus, colocariam sua confiança no poder humano, o qual, sem Deus, nada vale. Seus alicerces se fundariam na areia, e os vendavais e tempestades derribariam a estrutura.
Quem tem autoridade para iniciar semelhante movimento?" Mensagens Escolhidas, Vol. 1, págs. 204, 205.

 

O testemunho acima revela que era a intenção de Satanás introduzir na mente dos adventistas que uma reforma devia ser efetuada entre os adventistas do sétimo dia, para renunciar as doutrinas já estabelecidas. Coloca também uma série de outros fatos que ocorreriam caso Satanás conseguisse seu intento. Pois bem, vamos analisar resumidamente alguns pontos deste testemunho e ver se ele se cumpriu:

 

1 - O inimigo das almas tem procurado introduzir a suposição de que uma grande reforma devia efetuar-se entre os adventistas do sétimo dia, e que essa reforma consistiria em renunciar às doutrinas que se erguem como pilares de nossa fé...

 

Não é muito difícil de verificar se Satanás obteve sucesso em conseguir o que queria. Os pioneiros adventistas publicavam na Review and Herald, por 50 anos, que a "trindade" fazia parte do vinho de Babilônia, e o testemunho dado a Ellen G. White confirmou que o corpo de doutrinas da Igreja Adventista já estava estabelecido e não deveria ser mudado. Hoje vemos a Igreja Adventista publicando na Revista Adventista artigos defendendo a doutrina da "trindade". Portanto, concluímos que, obviamente, a doutrina da Igreja Adventista (IASD) foi mudada. Satanás conseguiu colocar na mente de alguns pastores adventistas de que as doutrinas deveriam ser mudadas. Um dos pastores que podemos citar sem medo de errar é o Pr. Leroy E. Froom, conhecido no meio adventista como o pai da "trindade". Ele foi o pastor que mais trabalhou para efetuar a mudança na doutrina da Igreja Adventista.

 

2 - Se tal reforma se efetuasse, qual seria o resultado? Seriam rejeitados os princípios da verdade...Nossa religião seria alterada. Os princípios fundamentais que têm sustido a obra neste últimos cinqüenta anos, seriam tidos na conta de erros.

 

Também não é difícil verificar que esta parte do testemunho se cumpriu. Hoje, tanto nos artigos que lemos na Revista Adventista, quanto nas pregações sobre este tema que têm sido feitas na Igreja Adventista, ouvimos dizer que os pioneiros estavam errados sobre este assunto, porque eram arianos e não criam na Divindade de Cristo.

 

3 - Escrever-se-iam livros de ordem diferente.

Introduzir-se-ia um sistema de filosofia intelectual. Os fundadores deste sistema iriam às cidades, realizando uma obra maravilhosa.

 

Facilmente podemos verificar que esta parte do testemunho também se cumpriu. Para defender a doutrina da "trindade", foram escritos livros como "A Vinda do Consolador", de Leroy E. Froom, e, mais recentemente, "A Trindade", escrito por três doutores da universidade adventista - Andrews University. Estes livros são de "uma ordem diferente" se comparados aos artigos escritos pelos pioneiros e publicados durante 50 anos na Review and Herald, que afirmavam que a doutrina da "trindade" fazia parte do vinho de Babilônia e não tinha base bíblica.

 

4 - Coisa alguma se permitiria opor-se ao novo movimento.

 

Esta parte do testemunho também está se cumprindo hoje. Aqueles que se opõem a mudança doutrinária que foi feita (inclusão da "trindade" no corpo de crenças das doutrinas adventistas), e se levantam convidando o povo a voltar à crença dos pioneiros são disciplinados e excluídos das igrejas, muitas vezes sem ter sequer a chance de falar em sua defesa. Nós mesmos fomos excluídos da igreja adventista do sétimo dia por pregarmos sobre a necessidade que temos de abandonarmos esta doutrina falsa que foi introduzida na igreja e "perguntar pelas veredas antigas", convidando os adventistas para que voltem a crer como os pioneiros.

 

Como podemos observar, o testemunho que apresentamos acima foi cumprido à risca até o momento. Que poderemos aguardar para o futuro senão o restante do cumprimento do mesmo?

 

Não estamos convidando você a sair da IASD. Pelo contrário - em nome de Jesus, que uma dia levantou os adventistas como povo para pregar as três mensagens angélicas, rogamos a você que convide os irmãos da igreja a voltarem à crença dos nossos pioneiros adventistas, ao fundamento da verdade que Deus deu e que permaneceu por 50 anos inalterado. Não é necessário que a estrutura da Igreja Adventista seja derribada e a igreja venha a ser destruída. Este não foi o plano original de Deus para ela. Deus afirma claramente em Sua Palavra:

 

"Mas, se o perverso se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os Meus estatutos, e fizer o que é reto e justo, certamente, viverá, não será morto. De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele; pela justiça que praticou, viverá.

 

Acaso tenho Eu prazer na morte do perverso?" Ezequiel 18:21-23.

 

Reconheça no apelo acima a voz de Deus à sua alma e à Igreja Adventista. Volte à crença nos alicerces como foram dados à Igreja Adventista, e convide os irmãos da igreja a fazer o mesmo, independentemente do que  possam fazer a você. Abandone a crença nesta doutrina falsa da "trindade", que como os pioneiros adventistas escreveram com tanta clareza, faz parte do vinho de Babilônia. Lembre-se que Deus ratificou o que estes pioneiros escreveram e publicaram durante cinqüenta anos pelo testemunho dado a Ellen G. White. Não deseja você estar sobre o agrado de Deus, aceitando as doutrinas, os alicerces da fé, tais como foram dados aos pioneiros e aprovados por Deus?

 

Que Deus te abençoe,

 

Ministério 4 Anjos

 

RETORNAR